Idioma:

  • Enseada Indústria Naval está pronta para voltar a operar

    DATA: 01/11/2017

    Publicado por: OEC

    “O estaleiro da Enseada Indústria Naval reúne alta tecnologia, gestão focada em resultados e uma forte política ambiental, o que o coloca entre os estaleiros mais eficientes”, diz Maurício Almeida, diretor de Operações da empresa do Grupo Odebrecht.

     

    A fala ocorreu em outubro durante a OTC Brasil, quarta conferência organizada pela Offshore Technology Conference e pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP). Reflete o diferencial da empresa em meio à falta de encomendas do setor de construção naval.

     

    A participação no OTC Brasil teve como objetivo apresentar a unidade industrial como alternativa para a construção de cascos e módulos de navios FPSO (unidades flutuantes de armazenamento e transferência) e para outras demandas da indústria de óleo e gás. “O importante foi que pudemos apresentar para este público qualificado todo o potencial do estaleiro. A presença na feira foi importante para mostrar ao mercado que estamos prontos a voltar a operar oferecendo o que há de melhor na construção naval”, avaliou Fernando Barbosa, Líder de Negócio da Empresa de Construção Naval e presidente da Enseada Indústria Naval.

     

    Um stand da Enseada foi montado no Riocentro, onde foi realizado o OTC Brasil, e recebeu a visita de investidores e representantes de outras empresas e de governos, como Fernando Coelho Filho, ministro de Minas e Energia.

     

    Ponto estratégico

    Localizado em Maragogipe, na Bahia, o estaleiro da Enseada Indústria Naval ocupa uma área de 1,6 milhão de metros quadrados, em uma localização estratégica e favorável ao desenvolvimento de projetos navais e offshore de alta complexidade. Na foz do Rio Paraguaçu, a 23 milhas náuticas de Salvador, foi construído em uma região de águas abrigadas, com grande calado e área para manobras de embarcações de grande porte.

    O estaleiro conta com uma equipe treinada na tecnologia japonesa da Kawasaki Heavy Industries, referência mundial em qualidade e produtividade. Com um recente reposicionamento estratégico, a empresa ampliou sua atuação, passando também a operar como polo industrial e de logística.

     

    Libra e Cidade de Itajaí

    A Odebrecht Óleo e Gás também participou do encontro, onde apresentou os projetos do FPSO Pioneiro de Libra e do FPSO Cidade de Itajaí, desenvolvidos pela joint venture 50/50 OOGTK, formada pela empresa e pela Teekay Offshore. “Nossa participação está totalmente associada à parceria com a Teekay e aos projetos que fazemos juntos no Brasil, que apresentam as soluções tecnológicas mais modernas do setor”, destacou Jorge Mitidieri, diretor Superintendente de Serviços Integrados da Odebrecht Óleo e Gás

     

    OTC Brasil

    A conferência apresentou soluções inovadoras para desafios em águas profundas e outras tecnologias de grande relevância para a indústria offshore no país. O evento incluiu mais de 180 estudos técnicos, 26 sessões técnicas e 14 painéis

    Nenhum Comentário

    Quer saber mais sobre
    algum assunto?

    Clique aqui e deixe sua sugestão
    para o próximo post!

    Notícias Relacionadas

    +
    0
    OEC

    A Unidade I da Termelétrica Punta Catalina, na República Dominicana, foi sincronizada e começou a injetar 36,5 megawatts (MW) no sistema...

    01 de Março de 2019
    +
    0
    OEC

    Depois de dois acordos preparatórios assinados nos últimos anos, a Odebrecht e o Estado peruano formalizaram na sexta-feira, 15...

    18 de Fevereiro de 2019
    +
    0
    OEC

    A Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, localizada no rio Iguaçu, no Paraná, deu início à geração de energia no dia 30...

    13 de Fevereiro de 2019
    +
    0
    OEC

    Nos meses de janeiro e fevereiro, a área de Conformidade da Odebrecht Engenharia & Construção (OEC) divulga a campanha...

    05 de Fevereiro de 2019